NANO(1) General Commands Manual NANO(1)

nano - Nano's ANOther editor, inspirado no Pico

nano [opções] [[+linha[,coluna]] arquivo]...

nano [opções] [[+[crCR](/|?)string] arquivo]...

Desde a versão 4.0, nano por padrão:
• não quebra automaticamente as linhas que ficam muito longas,
• inclui a linha abaixo da barra de título na área de edição,
• faz rolagem linear (suave).

Se você quiser o antigo comportamento do Pico de volta, você pode usar --breaklonglines, --emptyline e --jumpyscrolling (ou -bej, para uma versão mais curta).

nano é um editor pequeno e amigável. Ele copia a aparência do Pico, mas é um software livre e implementa vários recursos que faltam no Pico, tais como: abrir vários arquivos, rolagem por linha, desfazer/refazer, coloração de sintaxe, numeração de linha e quebra automática de linhas longas.

Ao fornecer um nome de arquivo na linha de comando, o cursor pode ser colocado em uma linha específica adicionando o número da linha com um sinal de mais (+) antes do nome do arquivo, e até mesmo em uma coluna específica adicionando-o com uma vírgula. (Os números negativos contam a partir do final do arquivo ou linha.) O cursor pode ser colocado na primeira ou na última ocorrência de uma string específica, especificando essa string após +/ ou +? Antes do nome do arquivo. A string pode ser diferenciada entre maiúsculas e minúsculas e / ou interpretada como uma expressão regular inserindo c e/ou r após o sinal +. Esses modos de pesquisa podem ser desabilitados explicitamente usando a variante em maiúsculas dessas letras: C e/ou R. Quando a string contém espaços, ela precisa ser colocada entre aspas. Para dar um exemplo: para abrir um arquivo na primeira ocorrência da palavra "Foo", faria-se:

nano +c/Foo arquivo

Como um caso especial: se em vez de um nome de arquivo um travessão (-) for fornecido, nano lerá os dados da entrada padrão.

Inserir texto e mover-se em um arquivo é simples: digitar as letras e usar as teclas normais de movimento do cursor. Os comandos são inseridos usando as teclas Control (^) e Alt ou Meta (M-). Digitar ^K exclui a linha atual e a coloca no buffer-de-transferência. ^Ks consecutivos colocarão todas as linhas deletadas juntas no buffer-de-transferência. Qualquer movimento do cursor ou execução de qualquer outro comando fará com que o próximo ^K sobrescreva o buffer-de-transferência. A ^U irá colar o conteúdo atual do buffer-de-transferência na posição atual do cursor.

Quando um trecho de texto mais preciso precisa ser recortado ou copiado, pode-se marcar seu início com ^6, mover o cursor até o final (o texto marcado será destacado) e, em seguida, usar ^K para cortá-lo ou M-6 para copiá-lo para o buffer-de-transferência. Também é possível salvar o texto marcado em um arquivo com ^O, ou verificar a ortografia com ^T.

Em alguns terminais, o texto também pode ser selecionado mantendo pressionada a tecla Shift enquanto usa as teclas de seta. Manter a tecla Ctrl ou Alt pressionada também aumentará o passo. Qualquer movimento do cursor sem a tecla Shift pressionada cancelará essa seleção.

As duas linhas na parte inferior da tela mostram alguns comandos importantes; a ajuda embutida (^G) lista todos os disponíveis. As combinações de teclas padrão podem ser alteradas por meio de um arquivo nanorc -- veja nanorc(5).

-A, --smarthome
Torna a tecla Home mais inteligente. Quando Home é pressionada em qualquer lugar, exceto no início de caracteres que não sejam de espaço em branco em uma linha, o cursor irá pular para aquele início (para frente ou para trás). Se o cursor já estiver nessa posição, ele saltará para o verdadeiro início da linha.
-B, --backup
Ao salvar um arquivo, faz uma cópia reserva da versão anterior dele, usando o nome do arquivo atual com o sufixo um til (~).
-C diretório, --backupdir=diretório
Faz e mantém não apenas um arquivo reserva, mas faz e mantém um com numeração única sempre que um arquivo é salvo -- quando os backups estiverem habilitados (-B). Os arquivos numerados exclusivamente são armazenados no diretório especificado.
-D, --boldtext
Para a interface, usa negrito em vez de vídeo reverso. Isso será sobrescrito ao definir as opções titlecolor, statuscolor, keycolor, functioncolor, numbercolor e/ou selectedcolor em seu arquivo nanorc. Veja nanorc(5).
-E, --tabstospaces
Converte tabulações digitadas em espaços.
-F, --multibuffer
Lê um arquivo em um novo buffer por padrão.
-G, --locking
Usa trava de arquivos no estilo vim ao editar arquivos.
-H, --historylog
Salva as últimas cem strings de pesquisa e strings de substituição e comandos executados, para que possam ser facilmente reutilizados em sessões posteriores.
-I, --ignorercfiles
Não procura no nanorc do sistema nem no nanorc do usuário.
-J número, --guidestripe=número
Desenha uma faixa vertical na coluna fornecida para ajudar a avaliar a largura do texto. (A cor da faixa pode ser alterada com set stripecolor em seu arquivo nanorc.)
-K, --rawsequences
Interpreta as sequências de escape diretamente (em vez de pedir a ncurses para traduzi-las). Se você precisar desta opção para que seu teclado funcione corretamente, relate um bug. Usar esta opção desabilita o suporte ao mouse de nano.
-L, --nonewlines
Não adiciona automaticamente uma nova linha quando o texto não terminar com uma. (Isso pode fazer com que você salve arquivos de texto não POSIX.)
-M, --trimblanks
Recorta o espaço em branco à direita da linha quebrada quando ocorrer a quebra automática automática ou quando o texto for justificado.
-N, --noconvert
Desabilita a conversão automática de arquivos do formato DOS/Mac.
-O, --bookstyle
Ao justificar, trata qualquer linha que comece com um espaço em branco como o início de um parágrafo (a menos que o recuo automático esteja ativado).
-P, --positionlog
Para os 200 arquivos mais recentes, registra a última posição do cursor e coloque-o nessa posição novamente ao reabrir o arquivo.
-Q "regex", --quotestr="regex"
Define a expressão regular para corresponder à parte de citação de uma linha. O valor padrão é "^([ \t]*([!#%:;>|}]|//))+". (Observa que \t representa uma tabulação real.) Isso torna possível reajustar blocos de texto citado ao redigir e-mail e embrulhar blocos de comentários de linha ao escrever o código-fonte.
-R, --restricted
Modo restrito: não lê ou escreve em nenhum arquivo não especificado na linha de comando. Isso significa: não lê ou escreve arquivos de histórico; não permite suspensão; não permite verificação ortográfica; não permite que um arquivo seja anexado, adicionado ou salvo com um nome diferente se já houver um; e não faz uma cópia de arquivos. O modo restrito também pode ser ativado invocando nano com qualquer nome começando com "r" (por exemplo, "rnano").
-S, --softwrap
Exibe em várias linhas de tela, linhas que excedem a largura da tela. (Você pode fazer com que essa quebra automática ocorra em espaços em branco em vez de rudemente na borda da tela, usando também --atblanks.) (A opção curta antiga, -$, foi descontinuado.)
-T número, --tabsize=número
Define o tamanho (largura) de um tab para número colunas. O valor de número deve ser maior que 0. O valor padrão é 8.
-U, --quickblank
Faz com que as mensagens da barra de status desapareçam após 1 pressionamento de tecla em vez de após 20. Observe que as opções -c (--constantshow) e - (--minibar) substituem isso.
-V, --version
Mostra o número da versão atual e sai.
-W, --wordbounds
Detecta os limites das palavras de maneira diferente, tratando os caracteres de pontuação como parte de uma palavra.
-X "caracteres", --wordchars="caracteres"
Especifica quais outros caracteres (além dos alfanuméricos normais) devem ser considerados como parte de uma palavra. Ao usar esta opção, você provavelmente deseja omitir -W (--wordbounds).
-Y nome, --syntax=nome
Especifica o nome do realce de sintaxe a usar entre os definidos nos arquivos nanorc.
-Z, --zap
Deixa um Backspace ou Delete não modificado apagar a região marcada (ao invés de um único caractere, e sem afetar o buffer-de-transferência).
-a, --atblanks
Ao fazer quebra de linha suave, quebra as linhas nos espaços em branco em vez de sempre na borda da tela.
-b, --breaklonglines
Aplica automaticamente quebra rígida de linha atual quando ela se tornar muito longa. (Esta opção é o oposto de - (--nowrap) -- a última opção entra em vigor.)
-c, --constantshow
Mostra constantemente a posição do cursor na barra de status. Observe que esta opção substitui -U (--quickblank).
-d, --rebinddelete
Interpreta as teclas Delete e Backspace de maneira diferente para que Backspace e Delete funcionem corretamente. Você só deve usar esta opção quando em seu sistema o Backspace atua como Delete ou Delete atua como Backspace.
-e, --emptyline
Não usa a linha abaixo da barra de título, deixando-a totalmente em branco.
-f arquivo, --rcfile=arquivo
Lê apenas este arquivo para definir as opções do nano, em vez de ler os arquivos do nanorc do sistema e do usuário.
-g, --showcursor
Torna o cursor visível no navegador de arquivos (colocando-o no item destacado) e no visualizador de ajuda. Útil para usuários de braille e pessoas com visão deficiente.
-h, --help
Mostra um resumo das opções de linha de comando disponíveis e sai.
-i, --autoindent
Recua automaticamente uma linha recém-criada com o mesmo número de tabulações e/ou espaços que a linha anterior (ou como a próxima linha se a linha anterior for o início de um parágrafo).
-j, --jumpyscrolling
Rola o conteúdo do buffer por meia tela em vez de por linha.
-k, --cutfromcursor
Faz o comando "Recort txt" (normalmente ^K) cortar da posição atual do cursor até o final da linha, em vez de cortar a linha inteira.
-l, --linenumbers
Exibe os números das linhas à esquerda da área de texto. (Qualquer linha com uma âncora também recebe uma marca na margem.)
-m, --mouse
Habilita o suporte ao mouse, se disponível para o seu sistema. Quando habilitado, os cliques do mouse podem ser usados para posicionar o cursor, definir a marca (com um clique duplo) e executar atalhos. O mouse funcionará no X Window System e no console quando o gpm estiver em execução. O texto ainda pode ser selecionado arrastando, mantendo pressionada a tecla Shift.
-n, --noread
Trata qualquer nome fornecido na linha de comando como um novo arquivo. Isso permite que nano grave em encadeamentos nomeados: ele começará com um buffer em branco e gravará no pipe quando o usuário salvar o "arquivo". Desta forma, nano pode ser usado como um editor em combinação com, por exemplo, gpg sem ter que gravar dados confidenciais no disco primeiro.
-o diretório, --operatingdir=diretório
Define o diretório operacional. Isso faz com que nano configure algo semelhante a um chroot.
-p, --preserve
Preserva as sequências XON e XOFF (^Q e ^S) para que sejam capturadas pelo terminal.
-q, --indicator
Exibe uma "barra de rolagem" no lado direito da janela de edição. Mostra a posição da janela de visualização no buffer e quanto do buffer é coberto pela janela de visualização.
-r número, --fill=número
Define a largura alvo para justificar e empacotamento automático neste número de colunas. Se o valor for 0 ou menos, a quebra ocorrerá na largura da tela menos número colunas, permitindo que o ponto de quebra varie junto com a largura da tela se a tela for redimensionada. O valor padrão é -8.
-s "programa [argumento ...]", --speller="programa [argumento ...]"
Usa este comando para realizar a verificação ortográfica e correção, em vez de usar o corretor integrado que chama hunspell(1) ou spell(1).
-t, --saveonexit
Salva um buffer alterado sem perguntar (ao sair com ^X). (A forma antiga da opção longa, --tempfile, foi descontinuado.)
-u, --unix
Salva um arquivo por padrão no formato Unix. Isso substitui o comportamento padrão do nano de salvar um arquivo no formato que ele tinha. (Esta opção não tem efeito quando você também usa --noconvert.)
-v, --view
Basta visualizar o arquivo e proibir a edição: modo somente leitura. Este modo permite ao usuário abrir também outros arquivos para visualização, a menos que --restricted também seja fornecido.
-w, --nowrap
Não aplica automaticamente a quebra rígida na linha atual quando ela se tornar muito longa. Este é o padrão. (Esta opção é o oposto de -b (--breaklonglines) -- o último dado entra em vigor.)
-x, --nohelp
Não mostra as duas linhas de ajuda na parte inferior da tela.
-y, --afterends
Faz com que Ctrl+Right e Ctrl+Delete parem no final das palavras em vez de no início.
-z, --suspendable
Permite que o usuário suspenda o editor (com ^Z por padrão).
-%, --stateflags
Usa o canto superior direito da tela para mostrar alguns sinalizadores de estado: I ao recuar automaticamente, M quando a marca está ativada, L ao aplica quebra rígida (quebrando linhas longas), R ao gravar uma macro e S ao aplicar quebra suave. Quando o buffer é modificado, um asterisco (*) é mostrado após o nome do arquivo no centro da barra de título.
-_, --minibar
Suprime a barra de título e, em vez disso, mostre informações sobre o buffer atual na parte inferior da tela, no espaço da barra de status. Nesta "minibarra", o nome do arquivo é mostrado à esquerda, seguido por um asterisco se o buffer foi modificado. À direita são exibidos a linha atual e o número da coluna, o código do caractere sob o cursor (no formato Unicode: U+xxxx), os mesmos sinalizadores mostrados por --stateflags e uma porcentagem que expressa como até onde o cursor está dentro do arquivo (linha a linha). Quando um arquivo é carregado ou salvo, e também ao alternar entre buffers, o número de linhas no buffer é exibido após o nome do arquivo. Esse número é apagado na próxima tecla ou substituído por um contador [i/n] quando vários buffers estão abertos. A linha mais os números das colunas e o código do caractere são exibidos apenas quando --constantshow é usado e podem ser ativados e desativados com M-C. Os sinalizadores de estado são exibidos apenas quando --stateflags é usado.
-!, --magic
Quando nem o nome do arquivo nem sua primeira linha fornecem uma pista, tente usar libmagic para determinar a sintaxe aplicável.

Várias das opções acima também podem ser ativadas e desativadas enquanto o nano está em execução. Por exemplo, ML alterna a quebra rígida de linhas longas, MS alterna a quebra suave, MN alterna os números das linhas, MM alterna o mouse, MI recuo automático e MX as linhas de ajuda. Veja no final do texto de ajuda ^G uma lista completa.

O botão de alternância M-X é especial: ele funciona em todos os menus, exceto no visualizador de ajuda e no linter. Todos os outros botões de alternância funcionam apenas no menu principal.

Quando --rcfile é fornecido, nano vai ler apenas o arquivo especificado para definir suas opções e sintaxes e combinações de teclas. Sem essa opção, nano irá ler dois arquivos de configuração: primeiro o nanorc do sistema (se existir), e depois o nanorc do usuário (se existir), ou ~/.nanorc ou $XDG_CONFIG_HOME/nano/nanorc ou ~/.config/nano/nanorc, o que for encontrado primeiro. Veja nanorc(5) para obter mais informações sobre o possível conteúdo desses arquivos.

Veja /usr/share/nano/ e /usr/share/nano/extra/ para obter as definições de cores de sintaxe disponíveis.

Se nenhum comando alternativo do verificador ortográfico for especificado na linha de comando nem em um dos arquivos nanorc, nano verificará a variável de ambiente SPELL para um.

Em alguns casos, o nano tentará despejar o buffer em um arquivo de emergência. Isso acontecerá principalmente se nano receber um SIGHUP ou SIGTERM ou ficar sem memória. Ele escreverá o buffer em um arquivo chamado nano.save se o buffer ainda não tiver um nome, ou adicionará um sufixo ".save" ao nome do arquivo atual. Se um arquivo de emergência com esse nome já existir no diretório atual, ele adicionará ".save" mais um número (por exemplo, ".save.1") ao nome do arquivo atual para torná-lo único. No modo multibuffer, nano escreverá todos os buffers abertos em seus respectivos arquivos de emergência.

A escrita e reprodução de macros de teclado funcionam corretamente apenas em um emulador de terminal, não em um console Linux (VT), porque o último não distingue por padrão as teclas de seta modificadas das não modificadas.

Relate quaisquer outros bugs que você venha a encontrar via:
https://savannah.gnu.org/bugs/?group=nano.

Quando o nano travar, ele salvará todos os buffers modificados em arquivos .save de emergência. Se você consegue reproduzir a falha e deseja obter um backtrace, defina a variável de ambiente NANO_NOCATCH.

https://nano-editor.org/

nanorc(5)

/usr/share/doc/nano/ (ou equivalente em seu sistema)

A tradução para português brasileiro desta página man foi criada por Rafael Fontenelle <rafaelff@gnome.org>

Esta tradução é uma documentação livre; leia a Licença Pública Geral GNU Versão 3 ou posterior para as condições de direitos autorais. Nenhuma responsabilidade é aceita.

Se você encontrar algum erro na tradução desta página de manual, envie um e-mail para a lista de discussão de tradutores.

versão 5.7 Abril de 2021